quinta-feira, 7 de abril de 2011

Um estilo de vida chamado cristianismo

João Ferreira Leite Luz

(Reflexões)

No último sábado em que nos reunimos no Projeto Reflexões fiz uma afirmação no mínimo contundente, disse que Jesus não é o fundador do cristianismo, ou pelo menos desse cristianismo institucionalizado como se conhece hoje. Jesus não é fundador de religião nenhuma.
Jesus se assim pode-se dizer, inaugurou um estilo de vida, um modus vivend - uma maneira de se viver, uma filosofia de vida.
Acredito ser ponto pacífico que o Cristo quando passou por esta vida nos deu muitos ensinamentos, entretanto, seu modelo de vida, sua maneira de se comportar diante das contingências da vida nos legou um exemplo de como devemos proceder.
Quando Jesus encontrou com a mulher samaritana na beira do poço de Jacó, ele lhe faz uma oferta, todavia o que Jesus está oferecendo a esta mulher não era trocar de religião, Jesus está oferecendo um tipo de vida que vale a pena ser vivido, ou melhor, ele está lhe dando a oportunidade de conhecer um estilo de vida com significado.
Cristianismo, portanto, é permitir que Cristo seja gerado nas pessoas. Se me perguntarem qual é o meu maior objetivo como pastor e pregador do evangelho, respondo sem pestanejar - trabalhar, pregar, ensinar; enfim, viver de modo que o caráter de Cristo seja formado nas pessoas.
O papel do líder religioso é ser mero facilitador desse processo, já que, quem vai efetuar esse trabalho é o próprio Espírito Santo. Então só me resta plagiar as belas palavras de Madre Teresa, “Eu não penso ter qualidades especiais, não pretendo nada pelo trabalho que exerço. É obra dele. Eu sou apenas como uma caneta em suas mãos, nada mais do que isso. É ele que pensa. É ele que escreve: a caneta não tem nada a ver com isso. A caneta serve apenas para ser usada”.
Luto por fazer do meu cristianismo o mais simples possível. Busco imitar o carpinteiro de Nazaré, e assim despertar esse desejo em mais pessoas.

Que Deus me ajude!

Nenhum comentário: