quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Peças de um grande quebra-cabeça


O Gênesis em sermões expositivos


Texto: Gênesis, 45.

A vida é sem dúvida semelhante a um grande quebra-cabeça. Existem momentos que simplesmente não entendemos nada do que está acontecendo, passamos por momentos de tanta dor e sofrimento que parece que as peças estão sendo montadas de forma incorreta. Mas é interessante notar que o quebra-cabeça só faz sentido ou só tem forma à medida que vai sendo montado.
Acredito que assim é a nossa vida, agora não entendemos muito bem a razão de certas coisas que nos acontecem. Mas com o passar do tempo, e à medida que vamos envelhecendo começamos a entender. Então aquelas “peças” mal encaixadas passam a fazer todo o sentido do mundo.
Assim é mais ou menos a história de José, que devido as grandes lutas que enfrentou ainda jovem, não entendia muito bem as razões daquilo tudo porque ele passava. No entanto, quando estudamos o capítulo 45 de Gênesis, vemos como José não apenas percebe perfeitamente as razões de tudo que ele atravessou como também nos ensina lições valiosíssimas a respeito das injustiças da vida.

Tecendo alguns comentários:

1) Nem tudo que acontece de ruim a nós vem do diabo v.5-8.

José entendeu que foi o próprio Deus que o enviou para o Egito, pois tinha ali um grande desígnio não só na vida dele como também através dele.
É importante entendermos que não foi Deus quem manipulou os irmãos de José para vendê-lo. Ele apenas usou aquela situação, porque se José não fosse vendido para o Egito, Deus proveria outro meio para enviá-lo para lá, ou seja, o fato dele ter sido vendido não representa que Deus estava sem alternativas, pois ele o enviaria para lá de qualquer outro modo para cumprir seu propósito.
Você já enfrentou uma, ou melhor, várias situações tão difíceis que disse que isso só pode vir do diabo?“O diabo está tão furioso comigo”.
Você já ficou, ou está doente e, já orou e não recebeu resposta. E disse: Não é possível, sou filho de Deus e estou com essa enfermidade? Por acaso os filhos de Deus não ficam doentes?
Você já ficou tão duro, tão sem dinheiro que disse: Caramba sou dizimista fiel e nunca saio dessa situação? E no final das contas o “devorador” é sempre o culpado.
Quantas vezes ficamos imaginando que toda essa situação difícil é uma conspiração demoníaca contra nós.
Eu fico imaginando Jó amarrando o “espírito de morte ou da miséria” que está sobre sua casa, quando na realidade tudo aquilo vinha da vontade do próprio Deus.
Acredito que chegou à hora de começarmos a pensar se toda essa situação não pode estar vindo do próprio Deus? José entendeu que era Deus quem estava trabalhando através daquela situação.
Não foi o Espírito de Deus quem conduziu Jesus de Nazaré ao deserto da Judéia para ser tentado pelo diabo? (Mt. 4.1)
Se você está doente, não se preocupe; Paulo apóstolo em IICorintios12. 7-12 e em Gálatas 4.13-15, também estava doente e orou, mas também não foi atendido. Se você está sem dinheiro mesmo sendo dizimista, não se condene, pois os apóstolos Pedro e João em Atos 3.6 também estavam.
Se você esta passando por uma situação complicada e ninguém te entende, nem você mesmo, espere um pouco mais, pois José também passou por isso quando foi vendido para Egito.

Vejamos o texto:
Deus também age no negativo.

“Associamos as ações de Deus apenas àquilo que consideramos positivo. As dimensões negativas de nossa vida, simplisticamente, atribuímos ao diabo, à nossa má sorte ou a alguma força cármica.
Antes de nos precipitarmos e acharmos que a vida está sendo injusta conosco, deveríamos consultar a Deus. Nem todas as portas fechadas foram trancadas por nossos inimigos; nem todos os percalços são fruto da maldade humana.
Muitas vezes Deus age no secreto, conduzindo-nos por seus caminhos que são muito mais altos que os nossos. Sem respostas para o porquê da ação de Deus, resta-nos confiar em seu caráter. Descansamos porque ele sabe o que faz. Descansamos porque ele nos ama. Quando não soubermos para onde vamos ou o que nos aflige, digamos como Paulo afirmou aos gentios: ‘ele é poderoso para guardar o meu tesouro até o dia final.”.
A presença imperceptível de Deus
Pg. 21-22 / Doxa produções

2) Deus tem a habilidade de transformar fracassos e derrotas, em alguma coisa extraordinária e bonita. V.5-8.

A história da vida de José é marcada por aparentes derrotas e fracassos. No entanto, ele não se rendeu diante das situações, e, Deus transformou aquilo que era para ser um fracasso em um grande triunfo. Aquele que era para morrer como escravo dentro de uma prisão suja é colocado como governador de todo o Egito.
Não podemos permitir que as lutas da vida nos roubem à capacidade de acreditar que um dia Deus reverterá nossa história, ou como diz o poeta: “Eu sei que a vida devia ser bem melhor, e será, mas isso não impede que eu repita, é bonita, é bonita, é bonita...”.
O bom de tudo é saber que o quadro da nossa história, ainda não está completamente pintado. Ou como disse Salomão: “melhor é o fim das coisas do que o princípio delas”. Ec 7.8
Devemos caminhar acreditando que o melhor de Deus ainda está por vir, e que a qualquer momento o milagre pode acontecer.
Nenhuma situação por mais difícil que seja deve ser considerada irreversível, quando Deus está no controle.
A história da humanidade é marcada por gente que soube dar a volta por cima
Abraão Lincoln, um menino que nasceu na miséria e foi analfabeto até os 17 anos de idade se tornou um dos maiores políticos que já existiu.
“Aleijadinho” teve suas mãos destruídas pela lepra, no entanto se tornou um grande escultor.
Beethoven, apesar de ser surdo dos dois ouvidos, se tornou um dos músicos mais extraordinários que já se conheceu.

É digno de nota que para Deus transformar nossa situação de fracasso em triunfo, é necessária a cooperação do ser humano, pois Deus não atua na vida daqueles que não estão nem um pouco preocupado com sua situação.
Percebam que José é um homem de um calibre diferente, daqueles que não se prostram e ficam lamentando sua sorte. Pelo contrário, ele usa toda aquela situação para se tornar uma pessoa ainda mais excelente.
As perguntas finais devem ser as seguintes:
Será que tudo que passamos de ruim vem mesmo do diabo?
Estamos entendendo que Deus também age no negativo?
Estamos trabalhando em conjunto com Deus para a transformação da nossa situação, ou estamos esperando de braços cruzados?

"navegar é preciso"
João Ferreira Leite Luz

Nenhum comentário: