domingo, 8 de setembro de 2013

Um salto no escuro

(Cogitações apenas)

Já escrevi noutra ocasião que a esperança é um tiro no escuro. Agora vou além, é um salto na escuridão, um mergulho no nada.
É andar muito, sem saber se vai chegar. Lutar sempre sem, entretanto, saber se vai vencer.
A estrada da esperança me perece sempre íngreme.

A esperança é como um toco de vela amarelado, já gasto devido o muito uso. Entrementes ainda há uma luz tênue que insiste em arder.