quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Emoção a flor de pele


João Ferreira Leite Luz
(devaneios)

Dessa vez não foi meia dúzia de palavras sem sentido.
Talvez duas, ou ainda três horas de palavras com muita significância.
Em meio a tantos nomes, substantivos, verbos e versos. Uma lágrima silente rolou dos olhos. Veio à emoção. Estava agora tudo escancarado, a flor da pele.
Um toque de leve na mão.
Uma carícia, ou duas. Três talvez. Não mais que quatro.
Um abraço, silêncio depois.
Inevitavelmente o beijo. O último. Talvez o primeiro, ou ambos.
Delírios? Não sei.
Talvez apenas um sonho. 
Ou pura realidade?

Nenhum comentário: