segunda-feira, 7 de maio de 2012

Trinta e cinco


João Ferreira Leite Luz

(minha história)

Cheguei ao trigésimo quinto andar do ano da vida e... O prédio já está começando a ficar meio alto.
Portanto:
Quero a partir de agora (e já estava na hora) deixar de ser especialista em irrelevâncias.
Quero mirar objetivos simples. Preciso reaprender a cadência da sim-pli-ci-da-de!
Quero viabilizar em minha própria vida o significado da palavra contentamento.
Quero acatar o conselho do Nazareno e viver um dia de cada vez, um passo depois do outro.
Quero aprender colher os milagres miúdos, já que o dia está repleto deles.
Quero saborear momentos únicos com amigos, se possível sempre com um bom vinho.
Quero amar intensamente meus filhos e minha mulher hoje, porque, segundo Renato Russo “é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar para pensar na verdade não há”.
Quero, por hoje, terminar solitariamente mais uma taça de vinho verde Via Latina – casta Loureiro, colheita 2010. E ouvir a música do Ira –Envelheço na cidade,  na vitrola, e rabiscar mais uma ou duas palavras.
Bom, quero mais um punhado de outras coisas. Entretanto, por hoje basta...

Nenhum comentário: