domingo, 11 de julho de 2010

Mediocridade

Minha história


 “Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas existe”. 
Oscar Wilde

Às vezes me levanto de manhã com a sensação de que apenas estou existindo, de que a vida é muito mais do que venho experimentando. Ando com uma espécie de obsessão por viver intensamente as possibilidades da vida.
Portanto, decidi não mais ser amigo da mediocridade, que em minha opinião deve ser a principal inimiga de uma vida abundante.
Jesus, o carpinteiro de Nazaré afirmando aos seus seguidores faz uma declaração imprescindível: “... eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente...” (João 10.10).
Penso que uma vida abundante está relacionada em saber administrar com equilíbrio as diversas áreas de nossas vidas, porque nenhuma pessoa vive apenas uma faceta da vida, ao contrário, desenvolve diversas atividades como por exemplo: pai, marido, profissional, cidadão e assim por diante. Ninguém leva uma ótima vida espiritual e ao mesmo tempo é um péssimo pai. Jamais alguém conseguirá ser um grande pastor e ao mesmo tempo um  marido horrível, pois é na capacidade de integrar que consiste a grandeza.

Então está resolvido:

Quero continuar me levantando todo dia de manhãzinha, mas com outra percepção, quero encarar meu dia não como mais um na rotina da semana, e sim, como oportunidade de aprender mais um pouco.

Vou me levantar às 6 da manhã no domingo, pedalar uns 80 km de bicicleta com meus amigos em meio à natureza e tomar banho de cachoeira gelada em dia de inverno.

 Todos os dias em minha profissão quero ser melhor, vou desenvolver minhas competências ao máximo que eu conseguir, não vou ser companheiro da preguiça.

Quando me levantar no púlpito de uma igreja vou pregar meu melhor sermão, dar o melhor que posso e jamais esquecer de fazer o dever de casa primeiro.

Pretendo fazer amor com a minha esposa como se fosse à primeira vez, quero saborear a vida ao lado dela aos pedaços como se fosse bolo de chocolate.

Quero intensificar a amizade com meus filhos, vou ser cúmplice deles, estar ao lado deles “pro que der e vier”.

Chega de mediocridades. Estou farto de uma vida rasa. Vou levar até as últimas conseqüências a sabedoria contida no poema de Fernando Pessoa:

“Para se grande, sê inteiro:
Nada teu exagera ou exclui,
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és no mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive”.

Está decidido, de hoje em diante vou levar Deus a sério.

E que ele me ajude!
João Ferreira Leite Luz

Um comentário:

Otelice Soares disse...

Bravo! Bravíssimo!
"...pois é na capacidade de se integrar que consiste a grandeza"
Parabéns, amigo!
Que o Senhor seja sempre contigo!
Bj. no coração.