domingo, 11 de abril de 2010

Tempus fugit – tempo que foge

Reflexões

Carpe diem quam minimum credula postero 
 (colha o dia, confia o mínimo no amanhã) 

Fragmento do poema de Horácio, poeta romano

“A vida é tão fugaz...” Já cantava Lulu Santos.
 Aproveite o dia. Entretanto, este aproveitar o dia tinha um sentido mais profundo do que fazer o máximo de atividades possíveis em 24 horas.  Acredito que isto quer dizer que só se vive esta vida uma única vez, portanto vivamos com total intensidade saboreando todos os sabores, sentindo todos os aromas; ouvindo boa música e lendo poesias. Não se esquecendo de ser cúmplice dos filhos e curtir a esposa.
Às vezes fico pensando que gastamos tanta energia com bobagens, jogamos tanto tempo fora com coisas sem importância, sem mencionar a má qualidade com que fazemos nossas atividades cotidianas. Já dizia o maior poeta em língua portuguesa: “põem quanto és no mínimo que fazes” – Fernando Pessoa.
De tudo que se deve dar importância fique com os afetos da família e o carinho dos amigos, e o resto..., bom o resto é resto.

João Ferreira leite Luz

4 comentários:

Lice Soares disse...

Texto tão belo e reflexivo assim, tem que ter aplausos
Bravo! Bravíssimo!
Espalhemos por aí esse grito: "Carpem Die!"

Hubner Braz disse...

"Sicuti naviganti portus, ita et mihi versus fuit optabilis novissimus... Explicit feliciter.
Deo gratias"

João Ferreira disse...

Querido Hubner,

"Navigare necesse; vivere non est necesse" - Navegar é preciso, viver não é preciso.

Navego em busco de um pôrto.

João

João Ferreira disse...

Amiga Lice,

Sempre tão gentíl. Obrigado!

João