quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

A manjedoura

Pensar na obra que Jesus realizou, é pensar em uma obra completa. Jesus veio ao mundo com um objetivo bem definido; nasceu, viveu e morreu para que a humanidade tivesse livre acesso ao coração de Deus como Pai.


A manjedoura, lugar em que os animais se alimentam. Tornou-se recipiente para o recém nascido Rei da Glória, como sinal de simplicidade e humildade.


“A majestade assumiu a humildade.
A força assumiu a fraqueza.
A eternidade assumiu a mortalidade.
A natureza inviolável uniu-se a natureza que pode sofrer.
Invisível na sua própria natureza tornou-se visível na nossa.
Ele que é incompreensível tornou-se compreendido.
Anterior aos tempos começou a existir no tempo.
Deus impassível não horrorizou de vir a ser carne passível.
Imortal não recusou as leis da morte.
Senhor do universo revestiu-se da forma de servo”.
Tomo de Leão

Através da manjedoura:
O Deus Filho passa a possuir a natureza teantrópica, natureza divino-humana.
Nasce o Emanuel – Deus conosco Mt 1.23.
Vem ao mundo o pão da vida Jo 6.35.
Entra nesta terra a luz do mundo Jo 8.12.
Vem ao mundo a porta da salvação Jo 10.9.
Entra nessa vida o bom pastor Jo 10. 11
Nasce aquele que é a ressurreição e a vida Jo 11.25


Na manjedoura:

Deus agora é visível e palpável;

“E o verbo se fez carne, habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e verdade” Jo 1.14.

“... O qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação...” Cl 1.15.

“... Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade...” Cl 2.9.

“... O qual sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa...”
Hb 1.3.


A manjedoura é a prova de que Deus não se contentaria de nos contemplar a distância, veio ser um de nós.


Feliz Natal a todos, e, feliz Natal Jesus, pois é teu aniversário.

João Ferreira leite Luz