terça-feira, 21 de abril de 2009

Tão humano quanto os demais humanos

(Categoria – reflexões)

A ideia é que aqueles que buscam espiritualidade devem ser especiais, ou preferidos de Deus. Ocupando assim lugar de distinção, posições privilegiadas em relação aos outros.
Bom, pelo menos uma grande maioria de pessoas mal informadas pensa assim. Um tanto pela falta de cultura (informação), outro tanto devido aos charlatões da fé, que manipulam a situação alheia, ou seja, pessoas inescrupulosas que mantêm o próximo debaixo do sentimento de culpa, fazendo com que eles se sintam os mais desgraçados dos seres humanos.
Coisa ridícula usar a religião, e, pior usar o nome de Deus para manter os indivíduos escravizados debaixo de uma cancela, debaixo de uma canga insuportável.
Tenho uma boa notícia. Ou melhor, a mais alvissareira das notícias: Deus nos considera todos iguais, somos todos humanos. Ninguém é melhor que o outro, nem o melhor de todos religiosos, se é que isso existe.
Gosto de um fragmento do texto de Caio Fábio extraído do livro No Divã de Deus:

“Os salmos mostram o lado humano dos heróis da fé. Revela como nós e eles, somos feito da mesma estrutura, o pó; somos possuídos pela mesma natureza, a dos seres caídos; vivemos e nos alimentamos do mesmo sentimento, a esperança; sofremos do mesmo mal, a dúvida, carecemos das mesmas coisas, amor e graça”.

Em tempos passados já pensei ser uma espécie de predileto de Deus, hoje, contudo, sou feliz em ser apenas mais um humano entre os demais humanos.

Que Deus me ajude!
Errare humanum est - errar é humano
João Ferreira Leite Luz

4 comentários:

Nilton Medeiros disse...

Infelizmente a idéia de um deus ascético, mantenedor e provedor dos desejos dos que o buscam, mediante um sacrifício que na maioria das vezes é em dinheiro é difundida em muitas igrejas. Aprisiona-se o povo com pregações vetero-testamentarias que se aplicavam a Israel para manter o povo no cabresto vitima muitas vezes de suas aspirações de manipular Deus, pensamento que arvora-se na mente de muitos, e que acreditam ser a oração o mecanismo de colocar Deus contra a parede, pois afinal de contas já fizeram o sacrifício.
Não conhecem o Deus da bíblia Pai de Jesus, que ama a todos sem distinção alguma, rico em misericórdia e amor, e que não há nada que façamos que o faça nos amar menos ou mais, posto que nos enviou seu filho Jesus, nos deixou o Espírito Santo e como diz em Lucas 12 A Deus agradou darnos o Reino. Esse é o Deus que quero servir e seguir todos os dias da minha vida.

Alice disse...

João,

cara, vc é bom na escrita !! estou aqui a "babar" em seus texto e a curtir esse lindo louvor !

estou seguindo-te e adicionando-te aos meus links favoritos.... tem muita gente que precisa vir aqui !


abraçosssssss

Rodrigo Melo disse...

Isso é grave, pois em algumas denominações o tal preferido de Deus se coloca em tão elevada posição e acaba criando dentro da própria igreja sub-divisões.

Tem o grupo dos ricos, dos favelados, dos pretos, dos brancos, dos eloquentes, dos letrados, dos ignorantes, dos incoerentes, dos inconsequentes, dos bem vestidos, dos maltrapilhos, dos manipuladores, enfim, cria-se a falsa idéia de que uma minoria é agraciada por Deus e a grande maioria precisa perseverar mais.

Precisamos lembrar que somos tão humanos quanto os demais humanos!

Parabéns pelo post.

A PaZ!

Efigênia Coutinho disse...

Olá, seu texto é enigmático, e cada um pode ler e reler para poder tentar entender o fundo dele em si.

Somos todos iguais neste mundo, uns , somente tem diferenças no que ele pode alcançar culturalmente , tanto faz ser pobre ou rico...

Efigênia Coutinho