domingo, 2 de novembro de 2008

Paulo, não o apóstolo

(Categoria - Minha história)

Paulo, meu irmão não é o apóstolo dos gentios. Mesmo assim é um grande homem, tanto quanto foi o outro, na verdade para mim é um herói, como todo menino que é criado sem pai e que cresce na pobreza e que com uma motivação única esse menino cresce, luta na vida e começa a conquistar seu espaço, chegando a ser o único na família com curso universitário. Sem mencionar que possui uma mente brilhante, entende de gramática como se fosse um professor de português. Um policial militar exemplar, bom marido, pai digno. Um bom homem, caráter integro.
Sou fã de pessoas simples e comuns, meus heróis favoritos são homens do tipo desse aí, Paulo Leite é o nome de um deles, um cara fantástico e que é uma inspiração para minha vida.
Uma espécie de pai (muito embora ele não goste que se refira a ele assim), mais foi exatamente esse o papel que ele desempenhou. Ajudando a minha mãe (que é outra heroína, mas essa história eu conto em outro texto), a nos criar e educar, eu e minha duas irmãs.
Ele também foi um grande amigão na minha infância e, ainda é. Talvez uma das únicas pessoas que me entenda quando quero desabafar minhas inquietações sobre a religião.
Não tenho como negar, tenho uma dívida imensurável para com ele, e seria mais do que ingratidão se eu não reconhecesse. Hoje só sou quem sou (apesar de não ser grande coisa), devido à generosidade, paciência e dedicação desse grande homem.
Meu irmão não possui apenas o nome do apóstolo S. Paulo, como também a garra e determinação. Um homem que luta incessantemente na vida para alcançar seus objetivos. Talvez alguém ao ler este texto possa dizer que é um absurdo comparar alguém que nem se quer vai à igreja com um santo do calibre do apóstolo Paulo. Pois é, eu acredito que meu irmão Paulo é possuidor de uma espiritualidade genuína, como poucos possuem. Aliás, eu acredito sem demagogias que existe espiritualidade para além das portas da religião.
Já foi a época que eu ficava deslumbrado com gente importante, gente popular. Hoje admiro pessoas simples, pessoas batalhadoras. Pessoas que são forjadas na têmpera da dificuldade e mesmo com tanta luta não desiste nunca. Ninguém me tira da cabeça que quando o Hino Nacional foi escrito dedicaram um verso especialmente para os meus heróis: “Mas se ergues da justiça à clava forte, verás que um filho teu não foge à luta”.
Certa vez um amigo me escreveu a seguinte mensagem: “Viva de tal maneira que seus atos sejam um referencial para o próximo”. Acredito no espírito dessa frase e, ainda, acrescento que uma das maiores vocações do ser humano é inspirar outros a viverem uma vida nobre e digna.
Querido Paulo, continue vivendo com grandeza, pois sua vida me desafia a não me acomodar com a mediocridade, mas me faz acreditar que é possível voar até o infinito nas asas da determinação e da humildade.
Paulo apóstolo, Paulo Leite. Dois gigantes, cada um a seu modo, cada um em sua época. Compara-los não é exagero, pelo contrário, é elogio a ambos, porque o que os torna comum é a grandeza e humanidade.

Que Deus nos ajude!
Difficilior lectio potior
João Ferreira Leite Luz

Nenhum comentário: